Fachin envia recurso de liberdade de Lula ao plenário do STF

BRASÍLIA (Reuters) – O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), remeteu para decisão do plenário da corte o julgamento de um recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pede a liberdade do petista, que está preso desde o início de abril.

Em despacho da noite de segunda-feira, Fachin não reconsiderou, pela segunda vez desde sexta-feira, sua decisão de retirar o pedido da defesa de Lula da pauta de julgamento da Segunda Turma do STF.

A decisão sobre incluir o processo na pauta do plenário cabe à presidente do Supremo, Cármen Lúcia. Não há data para isso, e esta é a última semana antes do recesso do STF, o que significa que o caso pode ficar para agosto, uma vez que a pauta deste mês já está feita.

O argumento principal é que os advogados de Lula entraram com um novo recurso no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4), chamado agravo regimental, para determinar a remessa do processo do tríplex no Guarujá (SP), pelo qual o petista foi condenado, para análise do Supremo.

Esse envio tinha sido barrado na sexta-feira passada pela vice-presidente do TRF-4, desembargadora Maria de Fátima Freitas Labarrère, que havia rejeitado a admissão do chamado recurso extraordinário — tipo de recurso que alega matéria constitucional e seria apreciado pelo STF.

Foi a partir da posição do TRF-4 que o ministro Edson Fachin, do STF, decidiu retirar da pauta da 2ª Turma um pedido liminar de liberdade do ex-presidente, que estava previsto para ser julgado nesta terça-feira.

No recurso mais recente, a defesa de Lula argumenta que o petista se encontra indevidamente detido e também, por se tratar de pré-candidato à Presidência, tem sua liberdade tolhida, correndo sérios riscos de ter seus direitos políticos cerceados diante do processo eleitoral em curso.

Em sua decisão, Fachin afirmou que o “novo cenário”, com a apresentação do chamado agravo pela decisão de Lula no TRF-4 para enviar o processo do tríplex ao STF, caracteriza uma hipótese de análise da liminar pelo plenário do Supremo.

“Diante do exposto, mantenho a decisão agravada (de rejeitar levar para a Segunda Turma) e submeto o julgamento do presente agravo regimental à deliberação do plenário”, disse ele, que destacou que a Procuradoria-Geral da República também pode opinar sobre o pedido de liminar antes do julgamento.

Por Ricardo Brito

Ubiratan Braga

Jornalista, radialista, publicitário

3 comentários em “Fachin envia recurso de liberdade de Lula ao plenário do STF

  • 21 de julho de 2018 a 10:59
    Permalink

    I simply had to say thanks again. I am not sure the things I would’ve gone through without the points contributed by you directly on my subject. It seemed to be the horrifying condition in my opinion, but discovering the very skilled avenue you processed it made me to leap over fulfillment. Extremely grateful for the work and in addition hope that you recognize what a great job you are accomplishing training many people with the aid of your blog. Most likely you haven’t met all of us.

    Responder
  • 21 de julho de 2018 a 18:40
    Permalink

    I wish to show some thanks to this writer for bailing me out of this matter. After looking through the world-wide-web and finding notions which were not productive, I thought my entire life was gone. Being alive devoid of the solutions to the difficulties you’ve resolved as a result of the guide is a crucial case, as well as the kind that could have in a negative way damaged my career if I hadn’t come across your website. Your actual capability and kindness in touching all the things was crucial. I am not sure what I would’ve done if I hadn’t come upon such a stuff like this. I’m able to at this time look forward to my future. Thanks a lot very much for this professional and sensible guide. I will not think twice to recommend your web sites to anybody who would need guidelines on this subject.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Espaço reservado para publicidade/p>